segunda-feira, 1 de outubro de 2012

É preciso ter coragem

Estudar, passar num concurso, comprar carro, comprar apartamento, casar, ter filhos, tirar 30 dias de férias por ano. Eu e Bruno estamos seguindo direitinho, há décadas, o roteiro que se espera da classe média brasileira. Mas tem um problema… eu passo os dias sonhando com minhas próximas férias. E invejo muito quem já se aposentou e aproveita ricamente esse período.

No nosso trabalho, nós temos a possibilidade bênção de tirar licença sem vencimento. As pessoas tiram essa licença por vários motivos. Nós vamos tirar para viajar. Tanta gente economiza dinheiro para aumentar cada vez mais o patrimônio material. Compra apartamento, casa, outro apartamento, aumenta o patrimônio mais e mais. Eu e Bruno estamos economizando para aumentar nossa qualidade de vida fazendo o que mais gostamos de fazer: viajar… Levar os meninos a abrir mais ainda seus horizontes. Abrir os nossos também.

Estamos fazendo mal a alguém? Que eu saiba não: não vamos pedir dinheiro emprestado, não vamos morar na sarjeta, já temos casa e carro, pra quê mais? E por que será que muita gente olha de cara feia para essa decisão? “Dri, porque você não manda o Bruno fazer um doutorado?”, eu acabei de escutar minha mãe dizer.

Eu não consigo entender. Não fomos demitidos, daqui a alguns meses tudo volta a ser como antes (para mim, nem começou ainda). Trabalho e salário no fim do mês. Mas os olhares críticos que recebemos de muita gente me fazem refletir. Por que esperar mais de uma década ainda para aproveitar tudo o que não podemos hoje na sonhada aposentadoria? Por que não fazer os sonhos se lambuzarem na realidade, nem que seja um pouco, ainda agora?

IMG_1208

Admiro muito a Família Schurmann, aqueles que tinham empregos fixos e casa com portão, venderam tudo e foram velejar pelo mundo com 3 filhos pequenos. Quanta crítica eles devem ter aguentado. Quantos olhares enviesados… E hoje, são pessoas que podem olhar pra trás e dizer: soubemos aproveitar. Demos uma educação primorosa a nossos filhos, que beberam da melhor fonte que podiam ter: o mundo. Enquanto eu não tenho a coragem da Família Schurmann, vou me ajeitando como posso.

Não critico quem não sonha como eu. É até mais fácil se contentar com 30 dias de férias por ano (+ o recesso do natal). Eu tento me contentar, mas às vezes bate o vento da coragem. Foi ele que me tocou. E resolvi atender ao seu chamado.

6 comentários:

Daniela Menezes disse...

Então o que você vai fazer? Tirar ferias sem vencimento? Vai pra onde, Dri? Por quanto tempo? Quem não gostaria de poder viajar quando bem entendesse, não é? Eu também amo viajar, e queria poder viajar mais, mas acabei de entrar num emprego público e ainda vou me mudar pra minha casa, se Deus quiser até o Natal!
Mas quem sabe logo logo consiga fazer a minha próxima viagem dos sonhos!

Dri disse...

Vamos passar dezembro na patagônia, dani, e janeiro na flórida. Pois é, temos as vezes que esperar um pouco pra assumir um sonho né? Eu tenho 19 anos de serviço público então tá na hora de voar um pouco, né? Bjk
Dri

Ana Flor disse...

Dri, eu acho que vc e o Bruno são um exemplo: vêm construindo ao longo dos anos muitas coisas, mas a principal eu diria que é esse ensinamento que deixam aos meninos, de aproveitar a vida de verdade. A felicidade está no presente. Não no futuro em que nem sabemos se estaremos vivos ou se teremos saúde pra fazer o que queremos fazer agora - e adiamos. Bens materiais? O que vcs têm hj é um sonho pra muita gente, pra que mais? Vc sabe que compartilho essa filosofia com vc. E muita gente tb me olha torto quando conto, por exemplo, que vou ao cruzeiro do New Kids on the Block. Mas quero ver quem mais tem a oportunidade de sentir o que sinto nesses momentos, qd realizo meus sonhos. Esperar me aposentar? Aí acho que o Donnie nem me daria mais bola kkkkkkk. Beijos, siga em frente e ignore as opiniões contrárias. Essas pessoas só querem o seu bem e, como elas têm medo de voar, acham que é mais seguro ficar no chão. Nós não. E se for pra morrer voando, prefiro do que morrer rastejando. ;)

Dri disse...

Curti, minha amiga! Aproveite bem o seu Donnie, sigamos nossos sonhos!

Anônimo disse...

Viajar é um grande patrimônio!!

Gab disse...

Oi Adriana, cheguei a seu blog por outro post, mas me identifiquei demais com este seu "desabafo"! Também sou funcionária pública atualmente em licença sem vencimentos, defendi meu doutorado em abril deste ano, e decidimos levar adiante o projeto de morar em alguns lugares por conta de alguns projetos com os quais queríamos conviver um pouco mais (já estamos há 6 meses na estrada e devemos passar mais alguns). Também ouvimos muita coisa, e engraçado como as pessoas se preocupam tanto com a questão da renda alheia, não? Normalmente, os piores comentários sobre esse tipo de opção vêm de familiares. É chato, é até doído às vezes, mas não podemos nos preocupar e temos que seguir levando nossos projetos, inclusive pra descontruir alguma idealização, mas é preciso fazer. Se arrepender do que não fez é infinitamente mais difícil! Hoje posso afirmar que tem sido uma das experiências mais importantes da minha vida, sem contar no que significa pra relação entre nós e nossa pequena filhinha! Um "investimento" (já que gostam tanto de pensar nestes termos) pra toda vida: de conhecimento, de experiência prática, de troca de ideias, de fortalecimento dos vínculos! Boas viagens por aí!