terça-feira, 31 de março de 2009

Pergunta sem resposta

De vez em quando o Arthur vem com algumas perguntas difíceis de responder:

"Papai, por que a gente precisa viver?"
"As pessoas que vivem no céu só flutuam?"

Eu falei uma vez que minha vozinha querida tinha morrido porque chegou a hora dela. Aí, qualquer notícia de morte que ele tenha, até de uma formiga morta, ele fala: "chegou a hora dela, não é, mamãe?".
Ele está muito legal. Ainda não fala tudo direito e tem algumas palavras que ele troca muito engraçadas, tipo MÁNICA (em vez de máquina). Ontem ele incorporou o Seu Creysson e ficou falando que tinha ganho um ADESÍVEL muito legal para pregar no braço.
Na Argentina, ele não cansava de pedir ao garçon "Papas fritas" e "La cuenta, por favor".

Léo, por sua vez, toda vez que me via falar Gracias, em alguma loja na Argentina, já emendava um Tchau, o que deixava as atendentes derretidas... Ontem, eu estava saindo do elevador com ele e ele deu um Oiiiii para as senhoras que estavam entrando, que ficaram encantadas. Leo geralmente é um tímido que encanta, quando alguém fala com ele, ele meio que esconde o rostinho e dá um sorrisinho timidinho, muito fofo. Eu fico derretida...

2 comentários:

Bia disse...

Vocês só têm motivos para orgulharem-se de seus filhos. Fiquei de cá imaginando Arthur pedindo batatas-fritas em espanhol e Leo encantando as pessoas com seu ar "nonchalant"...
Obrigada pela visita, Dri !
Ótimo findi a vocês quatro :)

umponto disse...

meninos crescendo sao fanasticos. Se derreta mesmo!

Lila